PersonAUlidades

PersoMIAUlidade de Hoje: Floquildo

CÃOfira essa reportagem super fofinha com o Flocs e seus papis!

 

Filho de Carolina Vila-Nova e  Solly Boussidan o gatinho Floquildo foi resgatado no Laos, quase morrendo, sem conseguir um lar na Ásia, Floquildo passou por inúmeras aventuras e peripécias em três continentes para conseguir vir morar no Brasil. 


Uma campanha online, auxiliada pela ONG Adote Um Gatinho (AUG), ajudou a arrecadar os fundos para que Floquildo pudesse viajar do Laos, via Vietnã, Tailândia e Alemanha, para chegar ao Brasil!

Já viram gato mais sortudo e viajado?!

No12316207_846891198742171_877600641432522790_nme:  Floquildo

Apelido: Floqs, Flocossauro, Flocolento, Flangolino, Floconauta

Raça: Gato 😀 (Com forte suspeita de que ele seja uma jaguatirica louca disfarçada!)

Idade: 3 anos

Irmãos? Quantos? Tenho três manos muito maneiros: o Juca, a Dinga e a Picolina

Como é viver com seus irmãos? A Picolina rouba minha caminha. A Dinga rouba a minha comida (e a de todo mundo). O Juca é muito ciumento. Mas no geral a gente se ama muito.

Algum Segredo de Beleza? Muito “xonin” da beleza felina

10014686_852784454819512_2938338843719786733_n

Profissão: Gato

O que faz para irritar seus donos? Naaadaaaaaa, não há nada, nadinha, nadica de nada, eu sou muito bonzin, um anjo!

E o que faz para agradá-los? Eu existo, oras!

Comida Preferida: Um dia a tia de branco trouxe um sachê diferente de presente, era um sachê de lula, a coisa mais malavilosa que eu já comi na minha vidinha

Hobby: Ser a coisa mais totosa do universo.

Relacionamentos amorosos: Eu sou um bebê castrado, então não namoro! Hihihi.

Sonhos: Que todos os bichins tenham lares tão amorosos como o meu!

11924762_806044362826855_7956494792910464563_n

Deixe seu recado: Gatins, cachorrins e bichins em geral não são brinquedos. Amamos, temos medo, depressão, ficamos tristes e felizes como os humanos. Se você decidir adotar um animal, lembre-se disso! Cuide dele e ame ele, mesmo nos momentos em que ele fizer arte ou quando ficar velhinho ou doente. Nunca abandone um bichin. Nós não entendemos o que está acontecendo, ficamos desesperados de tristeza e medo. Nosso amor por vocês é incondicional, intenso e para a vida toda. Retribua fazendo o mesmo por nós!

Nome Mamys: Carolina Vila-Nova

Nome Papys: Solly Boussidan

Filhos? Quantos? Nenhum humano

Como foi, o que os fez sentir,  é para ele ser nosso?

Muita gente diz que o Floquildo tirou a sorte ao ser encontrado por nós. Sim, ele teve sorte. Mas sorte maior tivemos nós. O privilégio foi nosso. O resgate foi nosso. Até hoje nos emocionamos quando nos lembramos daqueles dias, das viagens com o Floqs numa caixa de papelão, rimos das nossas peripécias.

Tem uma música baseada na história de são Francisco que diz:

“Doce é saber que não estou sozinho

Sou uma parte de uma imensa vida

Que, generosa, reluz em torno a mim

Imenso dom do Teu amor sem fim”

Eu (Carolina) tive exatamente essa sensação no resgate do Floquildo, de uma conexão profunda com Deus e com a natureza. Depois, com a Pavulina, foi a mesma coisa.

E a Pauvilina, vê-la revirando lixo, num ambiente em que todos festejavam…o que os fez parar, ao invés de seguir em frente?

Foi meio caótico, para dizer a verdade. Estávamos em Belém para o aniversário do meu avô (Carolina). Nesse dia, estávamos com meu pai e outros familiares nessa festa de rua. Foi o Solly quem reparou na Pavulina e não quis desgrudar dela. Ela era muito mansinha e ficamos com medo de alguém fazer mal a ela. Acabamos levando ela para a casa do meu pai e dali para São Paulo, pois vimos que ela iria precisar de atenção médica.

12705201_879365392161418_500499184808755850_n

Fale um pouquinho da gratidão que é ter filhos felinos.

Eu convivo com gatos desde 1990 — meu primeiro foi o Bacana, que viveu até os 17 anos. Sempre os amei e sempre precisei deles, do seu companheirismo, das suas manias, daquele jeito doidinho deles, do amor incondicional que eles têm por nós. Não sei viver sem gatos por perto, falta alguma coisa.

Já o Solly teve cachorros a vida inteira e não entendia nada de felinos quando nos conhecemos. Ainda assim, foi foi ele quem pegou o Floqs do chão e disse que a gente não ia deixar ele lá. Foi amor à primeira vista. Hoje ele também é gateiro, apesar de continuar apaixonado por cachorros também.

Deixe seu recado para seus fãs, que devem ser muitos…

A história do Floqs mostra que, quando se quer, se pode. Quando se ama encontra-se um jeito. Quando se tem amigos, ganha-se um mundo. Então, não desista diante das dificuldades. Lute pelo seu gatinho ou cachorrinho! Ele merece! A vida dele tem muito valor!

12208465_839669909464300_7587543047263982345_n

Para quem quer conhecer a viagem de Floquildo

 Leia mais no blog Cheiro de Durian
http://bit.ly/1kHPYPt
http://bit.ly/1usxHIK
http://bit.ly/1i90z1g

ou no  www.facebook.com/floquildo

9 comentários em “PersoMIAUlidade de Hoje: Floquildo

  1. Aos pais de Floquildo:
    Não sou amante de gatos mas, adoro cachorros. Questão de gosto não se discute, não é mesmo? Em toda minha vida só gostei de um gato: – o “Bigurrilho”, que era de meu avô Francisquinho. Creio que por causa dele mesmo, é que passei a não querer gatos por perto. Ele era muito traquina e fujão e a sua busca cabia a mim e ao meu irmão. Pense na canseira que era…
    Mas, o que importa é gostar-se de animais e eu os amo e jamais maltrataria um.
    Fiquei encantada com a estória do Floquildo e do amor que vocês têm por ele.
    Floquildo, Você é um sortudo! Aproveite bem as suas 7 vidas. E, muitas aventuras prá você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *